Central de vendas: (31) 3110-8001

Como financiar um apartamento sendo autônomo

15-09-2017

Mais do que futebol ou carnaval, se tem uma coisa que o brasileiro gosta mesmo é de trabalhar por conta própria. E não é só a gente que anda dizendo isso.

Segundo os dados do Governo, se formos contar apenas o número de MEIs (Microempreendedores individuais) ativos no país, teremos mais de 6 milhões de profissionais autônomos prestando todo tipo de serviço por aí.

Mas e na hora de financiar um apartamento e sair do aluguel, como esse tipo de profissional pode fazer para comprovar renda e colocar as mãos na chave do imóvel? É o que veremos por aqui. Confira!

Documentos necessários para dar entrada em um financiamento

Antes de entrarmos nos pormenores da comprovação de renda do trabalhador autônomo, é preciso saber quais são os documentos necessários para que qualquer pessoa comece a financiar seu imóvel.

São eles:

  • Originais e cópias do RG e CPF (no caso de casais, será necessária a apresentação dos documentos dos 2),
  • Comprovantes de estado civil
  • Comprovantes de renda (holerites, extratos bancários e declaração completa de imposto de renda do casal, se este for o caso).

Vale ter em mente ainda que cada instituição financeira tem seus métodos de análise e, por isso, pode ser que peçam alguns documentos extras por aqui. Além disso, vale lembrar que o valor de cada parcela do financiamento não pode ser superior a 30% do total de rendimentos da pessoa.

Comprovando renda como autônomo para financiar um apartamento

Mas e quanto aos autônomos? Como eles podem comprovar sua renda?

Simples: neste caso a comprovação pode ser feita por meio do contrato de prestação de serviços, pela declaração do Imposto de Renda, por meio da declaração do sindicato da categoria, e até através de um recibo de recebimento de trabalhos prestados ou de uma Declaração Comprobatória de Recepção de Rendimentos (Decore), feita por qualquer contador de preferência.

Algumas empresas também podem pedir os últimos 6 extratos bancários a fim de comprovar a renda daquele trabalhador autônomo. Por isso, nada melhor do que equilibrar suas dividas antes de entrar com esse tipo de pedido.

Aproveitando os benefícios do MEI

Para quem ganha como autônomo até 60 mil reais por ano, uma boa pedida é fazer o cadastro como MEI, o programa para Microempreendedores Individuais criado pelo Governo em 2009.

Como ele é possível, além de se formalizar e criar um CNPJ, também ter cobertura previdenciária, ter acesso a serviços bancários como empresa e até aproveitar de créditos especiais para financiamentos de produtos e imóveis.

Viu só como não é nada complicado financiar seu apartamento mesmo sendo autônomo? Pois então agora que você já sabe disso, que tal conferir algumas das opções de apartamentos aqui Unenco? Vai que você já sai do aluguel ainda este ano?

Equipe Unenco

Assine a nossa newsletter

Receba as novidades e dicas da Unenco direto na sua caixa de entrada

Sair

Escolha o empreendimento